Outros

O Bom Aluno na história de Nilson Douglas Castilho

Falar sobre a própria história de vida não é uma tarefa muito fácil, entretanto, sempre é bom recordar os bons momentos. Nunca passei por grandes dificuldades, porém nunca tive condições de ter acesso a uma Educação de qualidade. Sempre me dediquei muito aos estudos, mesmo estudando em escola pública. E como meu sonho era ser um professor, seria preciso muita dedicação e esforço

Quando estava na 5ª série, em 2003, fui chamado pela coordenação do colégio em que estudava para preencher um formulário do projeto Bom Auno. Não sabia muito do que se tratava o projeto, mas mesmo assim, preenchi o formulário. Eu e minha família fomos chamados para uma entrevista, passei por uma bateria de provas, e enfim, o resultado chegou: Agora, eu era mais um beneficiado pelo projeto Bom Aluno.

 Até a 8ª série continuei na escola pública, no entanto, comecei a estudar em período integral. Assim que saía da escola, começavam as aulas particulares de Português, Produção de Texto, Matemática, Química, Física, História e Geografia além do curso de Inglês. À época, ao entrar no Ensino Médio, o projeto Bom Aluno colocava os alunos em um colégio de qualidade. Sendo assim, consegui entrar no colégio Marista! 

Lembro-me do meu primeiro dia no Colégio Marista. Uma realidade completamente diferente daquela com que eu estava acostumado. O meu maior medo seria sofrer discriminação por parte dos colegas. É óbvio que, no início, todo estranhamento é mais do que natural, contudo, com o passar do tempo, senti o carinho dos meus amigos, professores e funcionários. E claro, as amizades ficarão para sempre na memória! 

Assim, ingressei no curso de Letras da UEL. No segundo ano do curso, voltei ao Marista para trabalhar como estagiário, corrigindo os textos dos alunos do Ensino Médio. Mais uma vez o Bom Aluno foi decisivo na minha vida, pois a contratação pelo colégio foi mediada pelos responsáveis pelo projeto que entraram em contato com o Marista. Um ano depois, fui contratado como professor substituto e, após seis meses, fui convidado para dar aulas de Produção de Texto para os 9º anos. Para mim, a alegria foi imensa, pois o meu sonho havia chegado antes mesmo do que eu pensava: enfim, eu era um professor! Com o tempo, tornei-me professor de Língua Portuguesa do Ensino Médio e atuava como Coordenador dessa área fazendo a gestão das atividades dessa disciplina em todos os segmentos da escola. As portas foram se abrindo e tive a oportunidade de também lecionar no colégio Universitário e no Curso Medmagno. Nesse período, fiz duas especializações pela UTFPR e PUCPR.

No início de 2019, alcancei mais uma conquista: fui convidado para assumir a coordenação pedagógica do Ensino Médio do Colégio Marista.  

Sou muito grato por tudo que o Bom Aluno fez por mim. Acredito que ensinar outros é a melhor forma de contribuir e agradecer por tudo o que investiram em mim até então. Formar cidadãos conscientes do seu papel na sociedade e com oportunidade de fazerem a mudança no mundo deve ser o meu dever como professor e coordenador.  E eu tenho a convicção de que só tenho consciência da minha missão enquanto educador, porque o Bom Aluno foi um modelo do que podemos fazer para mudar a vida de alguém: investir na Educação.

About the author

Bom Aluno Londrina

Leave a Comment